O mundo fascinante dos insetos

1

A Equipe de Difusão Científica do Instituto Nacional da Mata Atlântica – INMA/MCTI promove a exposição “O mundo fascinante dos insetos”. ​Esta exposição foi pensada como um espaço para reaproximar o público em geral dessa classe de animais invertebrados.

2

É comum pensar que os insetos são totalmente noviços. Em geral só notamos sua presença quando eles nos incomodam. Entretanto a maioria dos milhões de insetos existentes à nossa volta é totalmente inofensiva, muitos deles têm alguma função que nos beneficia. Estes seres possuem uma importância econômica e ecológica muito grande, muitas plantas dependem dos insetos polinizadores para sua reprodução.

3

Na exposição apresentamos insetos de diferentes ordens com isso temos uma diversidade de formatos, cores e adaptações, que proporciona um espaço fantástico para professores comentar o conteúdo estudado em sala de aula. Quanto os adultos, observamos que o espaço se torna agradável no resgate de experiências vivenciadas e curiosidades que são respondidas. A exposição começou no dia 12 de outubro recebendo 570 visitantes e permanecerá no INMA até maio de 2017.

4

Venha conhecer a exposição “O mundo fascinante dos Insetos” no Instituto Nacional da Mata Atlântica – INMA, antigo Museu de Biologia Professor Mello Leitão, fundado pelo naturalista e patrono da ecologia no Brasil, Augusto Ruschi. O INMA está situado na Av. José Ruschi, Nº 4, Santa Teresa – ES – Telefone: (27) 3259-1182. O instituto é aberto para visitação de terça feira á domingo de 8h ás 17h.

“Conquistamos a Normandia”

Normandia

Vitória, 19 de outubro de 2016

Prezadas e prezados,

Os desafios da vida nos levam a fazer analogias com eventos de guerra. E um dos eventos contemporâneos mais simbólicos foi a batalha da Normandia, quando os aliados começaram a retomada da Europa, em 1944, marchando firmemente para a vitória. Estamos aqui, com as devidas ressalvas, fazendo uma analogia deste evento com a publicação do decreto que regulamenta o Instituto Nacional da Mata Atlântica – INMA. Esta publicação formaliza, por fim, a transferência do Museu Mello Leitão para o MCTI&C, representando a vitória de uma batalha difícil, prolongada, mas com um enorme significado para a nossa luta.

 Esta foi uma batalha decisiva de uma luta que iniciamos há cerca de 20 anos. Mas, ao contrário das guerras literais, não lutamos contra ninguém, mas a favor da ciência, da educação, da Mata Atlântica, da biodiverdade e da memória e obra de Augusto Ruschi. Se podemos falar em adversários, seriam a inércia, burocracia e lentidão da tramitação dos processas nas instâncias públicas. Mas isso foi compensado com a nossa persistência e com os inúmeros apoios que tivemos da comunidade científica, de ambientalistas, da imprensa, bem como de importantes lideranças políticas estaduais e nacionais.

 O Decreto 8.877, de 18/10/16, publicado com atraso de mais de dois anos (a Lei que cria o Instituto foi sancionada em fevereiro de 2014) tira do limbo uma instituição que tem uma história de 67 anos, mas que tem sofrido com essa indefinição, acumulando sérios problemas de gestão. Obviamente, há muito o que se fazer, começando pela oficialização e preservação do histórico nome “Museu de Biologia Prof. Mello Leitão” no âmbito do Instituto, bem como a constituição de uma equipe de trabalho, hoje bastante fragilizada. Mas com a incorporação completa ao MCTI&C, o INMA já poderá constituir seus conselhos assessores, elaborar seu planejamento estratégico e seu regimento Interno e, o que é mais urgente, constituir um comitê de busca para o lançamento de um edital público de seleção de Diretor. Diante dodesafio que se impõe, é importante atrairmos lideranças que, ao mesmo tempo, tenham bagagem científica, visão de futuro e boa capacidade de gestão pública.

Gostaríamos, por fim, de agradecer os milhares de apoios que temos recebido por intermédio de abaixo-assinados, redes sociais e palavras de motivação que nos tem mantido nessa luta por todo esse tempo. O momento é de comemoração, mas continuaremos precisando do apoio de todos, pois, “conquistamos a Normandia”, mas a luta continua!

Abraços a todos

Coordenação do Movimento em Defesa do Instituto Nacional da Mata Atlântica MoveINMA
Sérgio Lucena Mendes
Arlindo Serpa Filho
Alyne Gonçalves dos Santos
Leonardo Merçon