O Futuro do INMA

20140928_1

Realizou-se ontem no espaço Museu Mello Leitão, a convite do Prof. Helio de Boudet, Diretor, em exercício, do Instituto Nacional da Mata Atlântica um encontro de profissionais que atuam na Mata Atlântica. A oficina denominada “Instituto Nacional da Mata Atlântica – A nova denominação do Museu de Biologia e sua inserção no MCTI. Pensando os novos rumos” aconteceu dentro da comemoração da 8a. Primavera de Museus – museus criativos.

O Prof. Helio abriu os debates, falando sobre os desafios do novo Instituto. Pediu aos presentes que fizessem apresentações livres, sobre quais poderiam ser os caminhos a ser adotados pelo INMA. Neste sentido, deixou os participantes livres para abordarem as questões de seus próprios ponto de vistas, não ficando presos as limitações que pudessem haver a seus ponto de vistas.

Após sua abertura, passou a palavra a Presidente da SAMBIO, que falou em nome da Associação de Amigos do Museu Mello Leitão.

20140928_2

Margareth, começou agradecendo o convite, e como estava falando em nome da SAMBIO se limitaria a apresentar a posição coletiva da Associação, e desta forma iria apenas fazer a leitura de um texto, elaborado pela Diretoria:

“Já em junho deste ano, após a realização do III SIMBIOMA, onde a criação do INMA foi fruto de um debate com a participação do Coordenador dos Institutos Nacionais do MCTI, a SAMBIO compreendeu a necessidade de se posicionar em relação ao que pensava para o futuro do Instituto.

Neste sentido, convocou uma reunião aberta de seu Conselho Deliberativo, que em reunião realizada em 5 de junho, se definiu um linha de atuação baseada em quatro pontos:

1. Manter o espaço físico atual, mantendo neste, todo o trabalho relativo a difusão científica e educação ambiental do novo Instituto e um histórico da memória de Augusto Ruschi. Preservando o nome Mello Leitão e os principais objetivos do Museu.

2. Com relação a necessária ampliação do Instituto, para abrigar as coleções em espaço seguro, abrigar os novos laboratórios e os novos servidores, foi definida a posição da SAMBIO, pelo uso espaço cedido pela prefeitura municipal de Santa Teresa como espaço ideal. Como esta nova construção demandará tempo, foi proposto que se encontre um local emergencial, que permita colocar as coleções em um local que lhes dê segurança e que permita a continuidade de sua expansão.

3. Com relação a necessidade da definição do Comitê Técnico-Científico e do Plano Científico INMA, foi decidrealizar usando os meios virtuais, uma ampla consulta a pesquisadores que atuam na Mata Atlântica.do que a SAMBIO iria consultar por meios eletronicos a maior quantidade possível de pesquisadores e elaborar uma proposta que seria apresentada ao Diretor em exercício do INMA.

4. Finalmente, ficou decida a Organização do IV Simbioma com o tema “INMA- Desafios e perspectivas para a Conservação da Mata Atlântica”, buscando-se neste encontro ea presença de pelo menos um pesquisador de cada Estado inserido no domínio Mata Atlântica.

Em 9 de Junho a SAMBIO enviou ofício ao Ministro do MCTI, propondo que o organograma do novo Instituto fosse apoiado em dois grandes núcleos:

– Um Núcleo de Pesquisa e Coleções, que precisará ser fisicamente construído em um novo espaço. Com instalações que correspondam às necessidades de pesquisas e manutenção dos diversos grupos biológicos característicos da Mata Atlântica. E que abrigue ainda, toda a parte administrativa do Instituto.

– Um Núcleo de Difusão Científica, que utilizaria o espaço físico já existente do Museu. Sendo responsável por dar continuidade aos trabalhos de divulgação da ciência e de cuidados com o meio ambiente, junto a estudantes e a população em geral. Nesse núcleo, manter o Boletim e de cuidar da preservação da memória de Augusto Ruschi. – Este, levaria o nome de Museu Mello Leitão e continuaria realizando os trabalhos existentes até o momento.

Na mesma mensagem a SAMBIO propunha outros três pontos:
1. A aceitação pelo MCTI da área oferecida em aparecidinha pela PMST e sua transferência imediata para o INMA.

2. A criação de um Grupo de Trabalho que pudesse mobilizar pesquisadores que representem as diversas regiões do domínio Mata Atlântica para a definição do Conselho Técnico-Científico do INMA.

3. A disponibilização imediata de bolsas para atendimento emergencial das necessidades do INMA.

No início de Julho a SAMBIO encaminhou um Ofício a bancada capixaba solicitando apoio para uma proposta de Seis Pontos da Associação:
Resumimos a seguir seus principais pontos:

1. A inclusão de dois núcleos na estrutura do INMA de forma a que se possa conservar o nome Museu de Biologia Mello Leitão, para o “Núcleo de Difusão Científica.

2. Transferência da área oferecida pela PMST para o MCTI e sua incorporação ao INMA.

3. Consulta aos pesquisadores com projetos na Mata Atlântica sobre o “Plano Científico do INMA.

4. Uso de bolsistas para atender as necessidades do INMA até que sejam contratados funcionários.

5. Transferência imediata das coleções biológicas para local seguro, mesmo que temporário.

6. Realização entre os dias 4 e 7 de Junho de 2015, do IV SIMBIOMA – Simpósio sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica com o tema: “INMA – Desafios e perspectivas para a Conservação da Mata Atlântica.

Neste sentido a SAMBIO vem mantendo contato com várias autoridades políticas solicitando que parte da verba de bancada, a ser definida ainda este ano seja destinada à construção da nova sede do Instituto.

Em 28 de Julho a SAMBIO encaminhou ao Diretor em exercício do Instituto uma proposta para o Plano Científico para o INMA, que pudesse ser utilizada como ponto de partida para a definição do documento a ser elaborado pelo Conselho Técnico-Científico do INMA.

Serviu de base para a formulação desta proposta, o documento “Contribuição à estruturação do MBML, tendo em vista a sua transferência para o Ministério da Ciência e Tecnologia”, proposta elaborada em julho de 2009 pelo Conselho Científico do antigo MBML. O documento foi elaborado com consultas por mensagens eletrônicas a 43 pesquisadores ligados a Mata Atlântica.

Finalmente, em Setembro a SAMBIO enviou um Ofício ao Ministério do planejamento solicitando informações sobre a situação do Decreto que regulamenta o Instituto. E se existe previsão para seu encaminhamento para a assinatura da Presidência da República. Nestes mesmo ofício, solicitou o empenho pessoal da Ministra nesta tramitação, tão importante para o funcionamento deste Instituto, que já nasce muito tarde, em vista a importância do Domínio Mata Atlântica.

A Presidente da SAMBIO, aproveitou a oportunidade para e deixar para consulta de todos cópia dos documentos gerado pela SAMBIO durante este período de preparação do novo Instituto.

Documentos colocados a disposição dos presentes foram:

Uma proposta para o Plano Científico para o INMA
Uma proposta de estudo de marca para o INMA
Relatório Técnico preliminar sobre a área de Aparecidinha entre pelo Prefeito de Santa Teresa no MCTI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *